Skip to content

Página Inicial seta Dicas Médicas seta HELICOBACTER PYLORI
HELICOBACTER PYLORI
Escrito por Dra. Eliane   

               Um dos aspectos mais importantes da gastroenterologia contemporânea, foi a descoberta da bactéria Helicobacter pylori  e suas relações com algumas doenças do aparelho digestivo, principalmente a úlcera, que passou de uma doença tratável para uma doença curável, uma vez que a eliminação desta bactéria é acompanhada pelo desaparecimento  da doença.             

   A bactéria Helicobacter pylori é encontrada mundialmente e afeta principalmente os Brasil, onde estima-se que 70%  da população esteja infectada, tendo seu início na infância. Nos países desenvolvidos atinge mais a população adulta, cerca de 40%.   

 O QUE É O HELICOBACTER PYLORI ? 

 É um bacilo (bactéria), adaptado ao meio ácido do estômago, com a forma de um bastão curvo e espiralado, que tem a capacidade de nadar pelo suco gástrico, atingir a mucosa que reveste o estômago estabelecendo-se na superfície das células epiteliais, onde causa um importante processo inflamatório conhecido como gastrite e/ou úlcera. 

EM GERAL, COMO É TRANSMITIDO OU ADQUIRIDO O HELICOBACTER PYLORI? 

Em geral a infecção é transmitida por contato íntimo, pela saliva, pela ingestão de água ou alimentos contaminados, e principalmente, por via fecal-oral. O desenvolvimento da doença, no entanto, difere de pessoa para pessoa. A maioria da pessoas infectadas são assintomáticas e provavelmente não vão desenvolver lesões. Este aspecto depende do tipo de resistência da bactéria e da resposta do organismo de cada indivíduo à infecção.  

COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO DO HELICOBACTER PYLORI ? 

O método mais comum no nosso meio é a obtenção de fragmentos da mucosa gástrica por biópsias realizadas através da  endoscopia.  

COMO SE PODE PREVENIR A CONTAMINAÇÃO PELO H. pylori  ? 

Através da melhoria das condições higiênicas e sanitárias. É importante salientar que é fundamental sempre fazer a lavagem das mãos antes da manipulação dos alimentos e após a realização das necessidades fisiológicas.  

TODAS AS PESSOAS INFECTADAS DEVEM SER TRATADAS ? 

Existem algumas condições que indicam sempre o tratamento, como por exemplo a úlcera péptica, pacientes com história de câncer de estômago na família, pacientes que necessitam de uso contínuo ou  prolongado de antiinflamatórios. Pacientes assintomáticos ou com gastrite  devem conversar com seu médico.  

COMO É O TRATAMENTO ? 

 Geralmente  o tratamento   é feito com a associação de dois antibióticos e uma medicamento que inibe a acidez do estômago. Esta combinação é conhecida como esquema tríplice de tratamento. É fundamental que se faça o uso correto da medicação para evitarmos, por exemplo, a resistência bacteriana. A erradicação com este esquema é obtida em mais de 90% dos casos. Trinta dias após o término da medicação já é possível  avaliar seu resultado. A reinfecção não é  comum ( cerca de 3 a 5% ao ano ).

 
Topo